April 20, 2006

Triste

Paul Sérusier, Breton Eve (Melancholy)
I
Hoje
estou triste
hoje
Queria chorar
a última lágrima
de areia
Estou triste
hoje
triste
e não alheia
II
Queria rir
e apodreço
cantar
e só murmuro
a dor
no silêncio
de descobrir
um processo de amar
sem consequências
Andar ao sol
na rua hoje
é quase indecência
III
Eu estou revoltada
hoje
revoltada
e triste
Que vontade
de dar uma bofetada
ao sol
que lá no alto
resiste
IV
Hoje
estou humilhada
eu!
Apetece-me sair
de espada em riste
e começar a despedaçar
os pássaros
e as flores
como quem resiste
ou não desiste
de combater a solidão
involuntária

V
Eu vagabunda de sonhos
estou triste
humilhada
revoltada
e triste
Não ironizem
hoje
diante de mim
não o suportaria
isto é
rebuscaria a minha
espada-de-lágrimas
engolida-em-seco
e mataria
VI
Eu estou triste
ouviram?
e não autorizo
as núvens
e o mar
a permanecer
no seu gargalhar
sem fim
Como se atrevem as flores
a nascer
diante de mim?
Eu estou lúcida
quero ser coerente
Há aqui gente
que mente
descaradamente
VII
Eu
hoje
triste
1972
triste
Eu
vagabunda de sonhos
não tenho uma lágrima
não
trago escondida
uma bofetada
para quando chegar
a ocasião.

Abril, 1972

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home