April 17, 2006

Porque chegaste?

Porque chegaste?
Que força,
que fogo
te mostrou o caminho
indeciso
da minha alma?
Porque abrasaste assim
a minha vida fria
e te instalaste
de maneira subtil e calma
no meu dia-a-dia?
Que soluço,
que lamento
acordou o amor
adormecido no tempo?
Que força, que fogo
te mostrou o caminho
indeciso
da minha alma?

Setembro, 1978

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home